© 2019 KOMBI CLUBE do BRASIL. DIREITOS RESERVADOS E PROTEGIDOS NOS TERMOS DA LEI

Kombi carat

a derradeira versão de luxo da kombi

Por: helder Sobrêda
04 de Março de 2019

15/04/2019

PS: estamos concluindo um trabalho sério e completo sobre todas as

kombi carat produzidas, e que somente será visto aqui e em um grande site automotivo, fique ligado!! 

Folder Carat 04032019
Folder Kombi Carat 04032019  2
folder de lançamento da kombi carat

            Nos anos 90, com a invasão dos carros importados em nosso mercado, favorecidos pela paridade do Dólar com o Real, a Kombi sofreu real ameaça em seu reinado.

            Nesse cenário, os carros importados de todo o canto do mundo chegavam ao Brasil com preço convidativo, e na maioria das vezes oferecendo coisas não encontradas em nossa indústria nacional. No caso dos utilitários, a grande novidade eram as vans para o transporte de passageiros, onde a Kombi reinava sozinha há décadas. Mercedes Benz trazia da Espanha o modelo MB 180D, logo substituída no final de 1996 pela Sprinter, a Chevrolet fazia parceria com a Renault e trazia a Traffic. Mas a grande ameaça a Kombi veio da Coréia do Sul, mais precisamente com os modelos Besta, da Kia e Topic, da Asia Motors. Esses modelos, movidos a diesel, levavam de 8 a 15 passageiros, com conforto e agilidade. Apesar de serem mais caros que a Kombi, a vantagem do motor diesel aliados a maior capacidade de passageiros e o conforto proporcionado, ameaçavam seriamente o reinado do utilitário VW no Brasil.

            Mas a VW já estava com a carta na manga para esse combate: a reestilização da Kombi.

Estávamos com a chamada Kombi Clipper, desde 1976, o que na verdade era uma mistura da Kombi de primeira geração fabricada no Brasil de 1957 até 1975 com a versão alemã fabricada na matriz da VW de Agosto de 1967 até 1979.

            Tínhamos a Kombi com a seção da frente da alemã (dianteira, portas, cabine e painel) lanternas traseiras da alemã, mas com todo o resto da primeira geração do utilitário: janelas do meio para trás, portas laterais de abertura por dobradiças, tampa traseira menor que a da alemã e a manutenção da parede que dividia a parte dianteira da parte central.  Devido a essa defasagem e o avanço dos importados, a VW decidiu trazer as atualizações faltantes para a Kombi Brasileira: Porta lateral de correr, tampa traseira maior, eliminação da parede da cabine, além de um novo assoalho central e o teto alto, uma solução não existente na similar alemã, mas criada pela VW do México em 1991, para a Kombi que era produzida localmente.

Propaganda Nova Kombi 1997 04032019
Propaganda Nova Kombi 1997 04032019 02
propaganda de revista da nova kombi - 1997

            O lançamento ocorreu em abril de 1997, onde as vantagens da porta de correr e do teto mais alto, foram amplamente exploradas pelo marketing da VW, afim de mostrar ao consumidor que a Kombi havia evoluído e que era uma ótima escolha de compra. As alterações se mostraram presentes nas versões Standard, Furgão, Ambulância (a versão pick-up não teve alterações e deixou de ser fabricada no ano 2000). Na esteira da novidade, a VW decidiu lançar uma versão luxuosa da Nova Kombi, exclusivamente para o transporte de passageiros: a Kombi Carat, o qual vamos abordar em detalhes.

Propaganda Nova Kombi 1997 Carat 0403201
propaganda de revista da nova kombi, com uma kombi carat - 1997

            Carat em inglês significa Quilate, uma forma de dar sofisticação ao nome da Kombi e de mostrar que ela tinha uma qualidade superior. (Vale aqui um esclarecimento: muita gente chama a Kombi de teto alto de Carat, o que não é correto. A Carat é apenas uma versão da Kombi com teto alto).

            A denominação Carat, não foi criação da VW Brasileira, esse nome já tinha sido usado na sucessora da Kombi Clipper alemã, a Transporter T3, onde a versão mais luxuosa, era chamada de Carat, mais precisamente de caravelle carat, com bancos giratórios e também telefone a bordo, um "business car", isso em 1984!

Não copia não, Sampa!

Folder Caravele Carat Alema 1987 0403201
Folder Caravelle Carat Alema 1987 040320
"der volkswagen caravelle carat" - traduzindo: o volkswagen caravelle carat
última página e capa do Folder alemão da Transporter T3 Caravelle Carat de 1987,
                         que emprestou o sobrenome para a "irmã" brasileira. 

Não copia não, Sampa!

            Da mesma forma que o teto alto, a inspiração do conteúdo da versão Carat Brasileira foi kombi mexicana, na sua versão chamada Caravelle, nome dado a versão de luxo da Kombi lá, com vários itens de conforto e com a mesma configuração na capacidade de acomodação de passageiros.

Folder Caravelle Mexicana 04032019 02
Folder Caravelle Mexicana 04032019 03
Folder Caravelle Mexicana 04032019
Folder da Combi Caravelle Mexicana 1991, que serviu de inspiração para a Kombi Carat Brasileira, reparem nos 7 lugares

            Ao contrário da Kombi tradicional, que transportava o motorista e mais 8 passageiros, a Carat, em nome do conforto, tinha a capacidade de transportar 7 pessoas (motorista e mais 6 passageiros) com a seguinte disposição:

Frente – Motorista e um passageiro em bancos individuais.

Meio – 2 passageiros,

Atrás – 3 passageiros.

            Os diferenciais da Kombi Carat eram explicados em um folder a parte, feito especificamente para esta versão, no qual destacamos o que não existia na Kombi Standard:

Interior:

.4 alças de segurança no teto

.Espelho de cortesia no parasol direito

.Laterais das Portas Dianteiras em vinil com ilha de tecido

.Bancos totalmente revestidos em tecido

.Banco central de dois lugares com descansa-braço do lado direito.

.Apoio de cabeça para todos os passageiros

.Nova cobertura do banco intermediário

.Revestimento do assoalho em carpete

.Teto totalmente revestido

.Revestimento das laterais do compartimento de passageiros em vinil

.Colunas B, C e D totalmente revestidas em vinil

.Revestimento em vinil na porta corrediça

.Cobertura na região das hastes da sustentação da tampa traseira

.Capa do estepe em carpete

.Tampa traseira parcialmente revestida

.Laterais do porta malas revestida em carpete

Exterior:

.Janela traseira esquerda corrediça

.Vidros verdes com parabrisa degradê

.Desembaçador do vidro traseiro

.Lanternas traseiras fumê

.Piscas dianteiros na cor cristal

.Calotas exclusivas

            A versão Carat era oferecida em 4 cores: Azul Atlanta(código antigo 027, código novo 4e4e) , Branco Geada (código antigo 021-código novo 3b3b) , Verde Java* (somente código antigo 026), verde saturno (somente código novo 3S3s)** e Vermelho Clássico*(código antigo 028-código novo 6m6m).                         *cores exclusivas da versão carat                   **cor lançada em 1998, temos carat 1998 e 1999 com esta cor.

            O revestimento dos bancos vieram da Linha Santana/Quantum, mais precisamente das versões topo de linha gls e Exclusiv: Navalhado Búzios Cinza.

Folder Carat 1997 04032019 04
Folder Carat 1997 04032019 03
folder da kombi carat 1997 com os detalhes dos itens de série, cores e tapeçaria interna
Acabamentos Internos Carat 2.png
nesta foto vemos o banco central de 2 lugares, o acabamento na lateral do banco central e o apoia braço, itens exclusivos da kombi carat. 
Interno Carat 6.jpg
a kombi carat possui o teto todo forrado, assim como a kombi luxo, que foi fabricada até 1986. 
Interno Carat 1.jpg
Interno Carat 2.jpg
Interno Carat 4.jpg
aqui vemos o acabamento dos bancos e das laterais,conjunto aconchegante e extremamente
confortável além dos encostos de cabeça, um para cada ocupante, mais itens exclusivos da kombi carat.
Tecido_Navalhado_Búzios_Cinza.jpg
detalhe do tecido navalhado Búzios cinza.
*foto - reginaldo de campinas
d6171999-4163-45bd-9aba-64d50c26eb1e.JPG
Tela Alto Falante Carat.png
acabamento da porta dianteira, em courvim com uma ilha do tecido. obs: o alto falante desta kombi da foto foi instalado fora da vw. ou a kombi saía com o rádio de fabrica que era o único opcional (vide abaixo) e com os alto falantes de tela quadrada (foto da esquerda), ou então, saia sem o alto falante, e com a tampa no painel.

           falando sobre o único opcional da kombi carat: sistema de som. composto de rádio toca-fitas:  volksline dc249, sendo substituido em 1998 pelo modelo dc349. temos também algumas unidades com o radio toca fitas vw gamma. O fato curioso fica por conta dos alto falantes, dois com posicionamento comum, nas portas dianteiras, e outros dois, eram instalados nas laterais do teto, na parte traseira, uma solução para dar uma melhor acústica ao modelo.(*)

Carat com som 3.jpeg
Carat Com Som.jpeg
Carat com som 4.jpeg

da esquerda para a direita: o rádio toca fitas volksline, o alto falante na porta e nas duas ultimas fotos

os alto falantes na traseira, nas laterais do teto, posição para dar uma boa acústica ao sistema.

(*)Agradecimento especial ao André Chun, que forneceu as informações e as fotos do sistema de som aqui mostrados 

            As calotas da Versão Carat são as mesmas usadas na Caravelle Mexicana no ano de 1995 e da VW Transporter T4 Alemã de 1991 a 1994. A única diferença é que na Transporter T4 Alemã, o aro da roda é de 15 polegadas, enquanto na Brasileira e Mexicana, o aro é de 14 polegadas.

Calota Carat vermelha 04032019
da esquerda para a direita: calota da Kombi carat, prospecto da combi caravelle mexicana 1995 e diagrama do catálogo de
peças da transporter T4 alemã 1991-1994, a calota tem o mesmo desenho, a diferença é que na alemã, o aro da calota é 15.

           A versão Carat trouxe pela primeira vez a Kombi desde 1976, os piscas dianteiros na cor cristal, fato que somente foi repetido nas séries especiais Série Prata, 50 Anos e Last Edition.

           As lanternas traseiras fumê da Carat, E A JANELA TRASEIRA ESQUERDA BASCULANTE também marcavam a estréia na Kombi, sendo usadas somente depois nas versões especiais Série Prata e 50 anos.

           VIDROS VERDES COM PARABRISA DEGRADÊ E DESEMBAÇADOR TÉRMICO NO VIDRO TRASEIRO ERAM ITENS DE SÉRIE.

Não copia não, Sampa!

AS DIFERENÇAS EXTERNAS: LANTERNAS TRASEIRAS FUMÊ, VIDRO TRASEIRO ESQUERDO BASCULANTE, VIDROS VERDES COM PARABRISA DEGRADÊ E DESEMBAÇADOR TÉRMICO TRASEIRO, PISCAS DIANTEIROS NA COR CRISTAL.

           A parte mecânica era a mesma das demais Kombis, com o conhecido motor 1600 refrigerado a ar, alimentado por dois carburadores, que em 1 de janeiro de 1998, devido a nova legislação de emissão de poluentes, ganhou a injeção eletrônica multiponto, essa herdada do Fusca mexicano, já que a Kombi mexicana desde 1988 usava o motor 1.8 refrigerado a água

          Apesar desses novos itens e do apelo mais luxuoso, o mercado não via mais a Kombi como um veículo para transporte de passageiros mais sofisticado, ainda mais com a redução da capacidade de passageiros de 9 para 7, sendo que seus concorrentes poderiam levar até 15 passageiros, ou seja, a quantidade de passageiros de 2 Kombis Carat caberiam em uma Topic a diesel. O volume de vendas foi baixíssimo e fez com que a Kombi Carat fosse descontinuada em 1999, sendo hoje objeto de cobiça e coleção para os amantes da Kombi, que buscam a derradeira versão de luxo, eleita por muitos como a melhor e mais bem acabada Kombi já produzida.

raridade perdida: apenas como complemento da matéria, localizamos esta kombi carat 1999/1999 (em seu último ano de produção) em um desmanche em sp, para retirada de peças. infelizmente, essa teve o destino que muitas carat tiveram, o fim.

Carat 1999 Desmanche 04032019 02
Carat 1999 Desmanche 04031999 03
Carat 1999 Desmanche 04032019
fotos tiradas pela própria empresa de desmanche(legalizado, diga se de passagem), onde a mesma oferece a kombi como doadora de peças, já sem placas e sem número de chassi, devidamente cortado quando o carro tem esse fim. infelizmente uma jóia perdida.