© 2019 KOMBI CLUBE do BRASIL. DIREITOS RESERVADOS E PROTEGIDOS NOS TERMOS DA LEI

Kombi Carat no Automuseum vw

em wolfsburg, alemanha

Por helder sobrêda
presidente do kombi clube do brasil

Quem visita o Automuseum VW em Wolfsburg, aberto desde 1985, (Endereço:  Dieselstraße 35, 38446 Wolfsburg, Alemanha), encontra o rico acervo de raridades da VW de todo o mundo. para nós, brasileiros, Um carro que chama a atenção é uma legítima Kombi Carat Brasileira 1998, exposta em lugar de destaque no museu.

Legítima kombi carat brasileira (com muitas diferenças)
em exposição no automuseum vw 

em nossa visita ao museu, não tinhamos como não reparar nesta kombi, pois a sua pintura incomum, chama a atenção de qualquer visitante. e a placa de exposição ao lado dela não deixa dúvidas de que se trata de uma carat.

Na descrição, informa que é uma Kombi de luxo fabricada pela VW do Brasil

Mas já na primeira olhada percebemos que ela em termos de pintura e acabamento, nada tem a ver com a nossa Kombi Carat ou mesmo com qualquer outra Kombi produzida no Brasil, pois a pintura verde metálica nunca foi disponiblizada na linha de produção da kombi brasileira, ainda mais nesse tipo de configuração saia e blusa, onde só cores sólidas foram oferecidas para este tipo de combinação. além do mais, a primeira kombi teto alto com pintura saia e blusa foi a kombi 50 anos, fato que só foi repetido na kombi last edition. a kombi carat brasileira foi oferecida somente com pintura de cor única e sólida (veja na nossa materia completa sobre a kombi carat, as cores oferecidas). na divisão das cores verde e branca, notamos um friso metálico, o que também não existia na carat nacional.

além disso, constatamos que esta carat especial tem os parachoques cromados, item que nunca foi oferecido no brasil, e as calotas areedondadas que lembram as da kombi corujinha fabricada até 1975. 

continuando nesta vistoria externa, macanetas de porta, tampa do tanque de combustível e espelhos retrovisores foram pintados na cor do carro, sendo que no brasil a carat era vendida com todos estes itens na cor preta. até os pneus com faixa branca não tem nada a ver com o carro original.

o que foi mantido igual a carat brasileira, foram os vidros verdes com parabrisa degradê e desembaçador traseiro, janela traseira esquerda de correr, moldura dos faróis cromada, pisca dianteiro cristal e lanterna traseira fumÊ.

moldura do farol e pisca cristal igual a carat original brasileira
parachoques cromados, retrovisores e maçanetas pintadas na cor do veículo fogem da proposta original da Carat
Calotas, faixas no pneu e tampa do tanque, diferentes da Carat original, mas as lanternas fumê são originais.

Agora, ao verificar o interior da Carat exposta, a diferença é ainda maior em relação a Carat vendida em solo brasileiro.

vejamos as diferenças:

Itens na cor branca:

.revestimento dos bancos em courvin 

.forração das laterais e portas

.painel

.carpete

.volante

.fundo dos instrumentos do painel(inclusive há até um relógio analógico, item que nenhuma kombi brasileira teve, sequer como opcional)

.telas dos alto falantes nas portas

.retrovisor interno

.cintos de segurança. 

Itens na cor verde:

.maçanetas e puxadores de porta

.manivela do vidro

.moldura do painel de instrumentos

.manopla da alavanca do câmbio

.moldura da coluna de direção

.puxador da alavanca do freio de mão

.debrum dos bancos

.roldana e acabamento da regulagem dos bancos dianteiros

 

no interior, os itens que foi mantidos como no projeto original da carat brasileira, foram a disposição dos bancos com seus 7 lugares, o encosto de cabeça para todos os ocupantes e o apoia braço no banco central.

nas fotos é possivel verificar toda a diferença de acacamentos em relação a Carat Brasileira

Na parte traseira, não há o logotipo "carat", presente na versão vendida aqui, provavemente quem repintou a Kombi, esqueceu de colocar o logo de volta. A placa "VWB1998" fictícia, é alusiva a Volkswagen do Brasil e ao ano dela, 1998, além de constar o município de São Bernardo do Campo, cidade onde está instalada a matriz brasileira da montadora também a unidade em que eram montadas as Kombis. percebemos também, pela pintura do interior das portas, da parte interna das caixas de rodas e por debaixo do assoalho, que originalmente ela era uma kombi pintada na cor branco geada (código de carroceria 021), disponível no catálogo de cores da carat, cor que permaneceu na parte superior desta unidade personalizada.

Detalhe da parte traseira com a placa e sem o logo "CARAT"

Quando da nossa visita ao Museu, não encontramos o curador, para tentar entender o por que de tanta personalização na Carat, mas assim que fizermos uma nova visita, vamos em busca desta resposta. 

Mas, mesmo personalizada ao extremo, a Carat Brasileira presente no AutoMuseum VW em Wolfsburg, é uma sobrevivente e conta um pedacinho da história desta derradeira versão de luxo da Kombi Brasileira.